12
abr
11

Despedidas…

Chorei muito ao ler o último post zumbístico… Não sei bem ao certo se foi pelo fato de ainda me sentir nesse mundo zumbi que deixou nosso sonho bloguístico cair por terra, se pelo fato de pensar em uma despedida (para o blog e para a minha amiga) ou pelo atual estado de gravidez que me faz chorar por qualquer pôr do sol…
Depois de chorar bastante, resolvi escrever a minha despedida. Daqui a pouco vou achar graça de tudo, falando de todos esses assuntos com a maior naturalidade. Como se a dor nunca tivesse existido. Não agora. Um dia qualquer, quando eu menos esperar.
E aqui vai um conselho para a minha amiga que vai em busca de seus sonhos, enquanto eu vivo os meus de sopetão: A DOR É ASSIM MESMO… Quando vem, sufoca, deixa a gente sem ar. Depois ela passa e a gente nem consegue lembrar direito como ela era. Nem se lembra mais do quanto ela era intensa. E isso acontece com uma dor nas costas, um câncer ou um belo pé na bunda. Depois de toda dor e de todo o vazio, fica tudo em paz. E essa paz nos faz seguir em frente. Seguindo em frente, encontramos novos sonhos e sorrimos. E o sorriso nos faz feliz. Motivo pelo qual suportamos viver nesse mundo zumbi.
Agora, morando na beira da praia, esperando meu filho e com todas as crises de pânico que me assolam nesta fase…. Hoje entendi que não adiantou negar essa vocação instintiva. Vou ser mãe. Tive a sorte realizar três sonhos… Visitar um país distante, minha tatuagem e morar num lugar onde as pessoas andam de bicicleta. (essa mais uma das heranças deixadas numa mesa de café pela SOL) O que mais posso querer?!?! Tive a sorte de encontrar um homem que topou o desafio de dançar essa vida comigo logo cedo. Os anos estão passando e os meses vão se amontoando em nossa história. Escrevi muitas coisas sobre esse mundo zumbi nessa fase… Mas agora a alegria e a felicidade chegam travestidas de roupinhas azuis e cheirinho de bebê. Um sonho antiquado para uma artista independente financeira e emocionalmente que foi criada num mundo zumbi de consumo e relacionamentos. Mas a vida é assim. Cancei deste mundo zumbi, cheio de suas realidades cruéis que assolam os jornais. Quero viver de sonho e de conto de fada. Aqui vai o segundo conselho: SIMPLESMENTE é mais fácil!
Enquanto muitos dizem que a vida “acaba” depois dos filhos, a MINHA SÓ ESTÁ COMEÇANDO! Entro em minha nova fase com um novo blog ( Logo divulgo…). Fica adespedida para este Blog Zumbístico. Desejo toda a sorte do mundo para minha amiga Viajante. Que ela possa encher nossos olhos, rodeada de muitos zumbis que conhecerá pelo mundo. E espero que não volte mais. E só você sabe o quanto isso é sincero, né, Sol? Continuarei zumbizando por perto e acompanhando suas aventuras.

27
mar
11

Um novo post para uma nova fase.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Este blog nasceu de uma das tantas conversas calorosas e criativas regada a muito café que pude desfrutar com a Dai, agora DaimãedoOtto!Tínhamos uma vontade que ainda não passou de criar alguma coisa juntas…pensamos em tudo, uma marca nova de biscoitos caseiros, suspiros caseiros, xiboquinha caseira…e várias outras coisas, sempre caseiras, geléias, conservas, livros, teatro, músicas e etc…mas por conta da falta de tempo e do tempo cada vez mais em falta, optamos em blogar juntas.Essa coisa do mundo virtual ainda vai nos levar além, pensamos na ocasião.O tema era essa mania de que a gente tem de querer sentir a vida com muita intensidade.Sim, porque só duas pessoas que sentem intensamente param pra perceber a vida que não existe na vida dos outros.Daê que pensamos em zumbis, até porque sempre tivemos uma queda descarada por Zumbis.Ok, até aqui está super explicado, o blog saiu do café q virou realidade, virtual, mas virou!Só que mal sabíamos que nada é para sempre e algumas coisas aconteceram e o blog também morreu.Mais do que nunca, um ZUMBI!
Foi aê que decidi criar um novo blog, na real um ‘diário de bordo’,Eu explico, partirei em busca de afetos e rumores novos em julho deste ano. Embarco 07-07-2011 para Paris e depois Londres. Realizar um sonho é sempre bem trabalhoso, mas muito bom!Um novo tom a cada detalhe resolvido e para cada detalhe resolvido tem outro detalhe pendente. É isso, vou transformar este blog em outro blog. Não quero criar outro por vários motivos, mas o principal é a preguiça. Começo a postar aqui essa maluquice que é viajar sem grana, sem lenço e documento!Claro que este blog não vai esquecer o quanto morremos todos os dias, afinal como disse kaufman,
‘a maior parte do seu tempo é gasto a ser morto, ou ainda não nasceu. ’

Rumo a Londres, aos meus sonhos, a afetos e rumores novos!

28
abr
10

MAIS AUTORAL, IMPOSSÍVEL!

“Algumas pílulas te fazem crescer, outras te fazem encolher. E as que a sua mãe te dá não fazem efeito algum”.
– Grace Slick

15
abr
10

#A vida em outro ritmo:

Penso nos gestos que tento fazer para me comunicar. Talvez eu me pareça com uma surda muda com defeito de fábrica. Deixar as mãos ao lado do corpo, morder o lábio, roer a unha, o pé apontando pra rua… Ensaio os gestos de uma vida inteira. A complexidade das mãos dadas, de um beijo, tudo tão bem ensaiado. Escavar o mais fundo onde se segregam todos os segredos, desvendar e enaltecer com cada gesto, cada detalhe, cada olhar. Cada ato falho. Cada ato meu.
Penso nos gestos e na minha queda pelo estilo dramático.

12
abr
10

writer’s block.

“…Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos…”

Pablo Neruda

09
abr
10

Um certo abandono,que vai ganhando contorno!

Odeio pessoas viciadas em discursos apagados,essas pessoas que não se cansam de me cansar (ainda bem, que tenho amigos que me salvam, desta inóspita condição de ver o mundo com olhos neuróticos e empapuçados de delírios pós modernos!ah este meu lirismo imbecil que não cabe em histórias de audiência!este meu silêncio de imagens e tudo que me atrai, tudo que tá sempre no corredor ao lado!minhas músicas, livros e os filmes, minhas cenas, letras e os sons!minha mãe tão engraçada, meu filho tão eu e tão ele!Meu pai, longe ,mas sempre uma sóbria referência!Minha infância, meu irmão e todas as nossas brincadeiras e nossas músicas e danças estranhas, sempre a minha dança fora do padrão.Stranger!meu café preto quase amargo, meus pesadelos e sonhos lúcidos!O sorvete de flocos e meus óculos que eu nunca usei, o medo do escuro,o desejo de escrever nas paredes do quarto, consentido pela realeza mãe.Os desenhos que não sei fazer.O inglês que não sei falar.A Irlanda que não conheço, mas que já fui e voltei muitas vezes em um único dia.Estes meus meios caminhos,esses semiventos e tudo que passa por essa porta entreaberta .Meus sorrisos brandos e a latinha que coloquei no parapeito da janela pra chuva ficar com cara de infância,é quando mudo a cor do som!E nesse “resumex” de vida, tinha você, tão improvável quanto eu.Acho que era Kafka quem falou sobre o universo se expandir pelas janelas…
‘Entre muitas outras coisas, tu eras para mim uma janela da qual podia ver as ruas.’ Franz Kafka.Ele mesmo.Ando cheia dessa vida Zumbi!

05
abr
10

# manual de sobrevivência

*Tomar banho
*Sonhar
*Apanhar folhas das árvores no ar
*Deambular pela cidade
*Dormir uma sesta
*Raios de Sol de Outono.
*Espetar fósforos em vegetais para *fazer vegetais alienígenas
*A contemplação de coisas que voam
*O sexo matinal
*Observar nuvens.
*Contar estrelas
*Cozinhar…
*Da luz que entra pelas minhas janelas quando está sol.
Dos livros arrumados na estante, da casa vazia quando entro, como se de braços abertos, à minha espera.
de adormecer na sala, ainda vestida, afundada no sofá a ver televisão.Descobrir uma música.E RESPIRAR!